v

Imprimir Esta Receita

Print Friendly and PDF

Queimada do dia das Bruxas

queimada beirã
Esta é uma brincadeira que costumamos fazer no dia das bruxas, passamos sempre uma noite muito divertida, apenas entre mulheres, é claro!
Deveremos ter um pote de barro, e malgas de barro para servir a bebida (como não tinha o pote de barro ou a panela de 3 pernas, serviu um tacho de cozinha, …não aconselho, fiquei com o interior do tacho de tal forma que não consegui retirar o preto que se lhe agarrou!).
Todos os ingredientes deverão estar em recipientes para ser mais fácil encontrar, porque ao mesmo tempo teremos que dizer a reza numa voz tenebrosa....!

Inicio da Reza: 
- Pó de estrelas (açúcar), lágrimas de virgem (bagaço), pó de perlim- pimpim (erva doce), meter açúcar na concha e um pouco de bagaço e incendiar até ficar caramelizado, 
- ranheta de macaco (bagaço), casco de unicórnio branco (açúcar)
Depois com muito cuidado mete-se a concha na panela para incendiar a bebida, com a bebida já incendiada começar a introduzir o resto dos ingredientes ao mesmo tempo que se faz uma cascata ardente com a concha elevando-se e despejando o liquido no pote.
- olhos de sapo (grão de café), cobras (casca limão) e lagartos (casca de laranja), dentes de dragão (passas), miolos de crocodilo (maçã), ossos de galinha (pau canela) 
Mexe-se até esgotar quase todo o álcool, fazendo com que a queimada se apaga por ela própria, à excepção dos bordos que continuam a queimar, nesta fase faz-se o esconjuro (para afastar todos os males!):

Esconjuro
-Mochos, corujas, sapos e bruxas!
Demônios, trasgos e diabos, espíritos das enevoadas veigas.
Corvos, píntigas e meigas:
feitiços das mezinheiras.
Podres canhotas furadas, lar dos vermes e alimárias.
Fogo das Santas Companhas, mau-olhado, negros feitiços, cheiro dos mortos, trovões e raios.
Uivar do cão, pregão da morte; focinho do sátiro e pé do coelho.
Pecadora língua da má mulher casada com um homem velho.
Averno de Satã e Belzebu, fogo dos cadáveres ardentes, corpos mutilados dos indecentes, peidos dos infernais cus, mugido do mar embravecido.
Barriga inútil da mulher solteira, falar dos gatos que andam à janeira, guedelha porca da cabra mal parida.
Com este fole levantarei as chamas deste fogo que assemelha o do Inferno, e fugirão as bruxas a cavalo das suas vassoiras, indo-se banhar na praia das areias gordas.
Ouvi, ouvi! os rugidos que dão as que não podem deixar de se queimar na aguardente ficando assim purificadas. (aqui as outras bruxas choram e gritam)
E quando esta beberagem baixe pelas nossas goelas, ficaremos livres dos males da nossa alma e de feitiço todo.
Forças do ar, terra, mar e fogo, a vós faço esta chamada:
se é verdade que tendes mais poder que a humanas pessoas, aqui e agora, fazei que os espíritos dos amigos que estão fora, participem connosco desta Queimada.

Serve-se então a queimada quente, sem retirar nenhum ingrediente, e continuamos pela noite fora!

Nota: ±120gr de açúcar para 1L de bagaço